sexta-feira, 27 de fevereiro de 2009

Uma palavra sobre kata e sua padronização

Os kata básicos Heian e Tekki, como também os demais kata superiores na escola Shotokan são todos essencialmente importantes. Gostaria de lembrar que em 1948, discípulos das universidades de Keio, Waseda e Takushoku haviam se reunido com o mestre Gichin Funakoshi na universidade de Waseda. O objetivo dessa reunião era trazer esclarecimentos e definir alguns procedimentos que levassem à unificação dos kata shotokan. Porque estes kata haviam recebido várias interpretações individuais e subjetivas depois da guerra. A apresentação desses kata na série o melhor do Karate de Masatoshi Nakayama, adota esses critérios de padronização definidos nessa ocasião. Pratico Karate-Do desde a década de 80, quando tinha apenas 15 anos e até o dia de hoje prefiro praticar kata de acordo com a padronização daquela época. Infelizmente nos dias de hoje muito aconteceu com a prática do kata na escola Shotokan. Hoje os tempos são outros, por incrível que pareça as explicações para tal mudança dita por alguns, está na beleza. Porque dizem que nas competições ficam melhor apresentáveis e mais bonitos. No entanto, descordo de tudo isso e para começo de história o kata não deveria estar incluído em competições. Porque o kata é a essência do Karate e como arte marcial o karate é uma arte nobre de elevação moral, cujo objetivo é levar ao aperfeiçoamento do caráter. Enquanto eu puder praticar Karate, o mesmo terá para mim significado especial, pois o Karate é o meu modo de vida. E quando digo isso não falo de dinheiro, mas falo de algo superior que edifique e construa valores em mim como pessoa;como também em todos que aprenderem comigo.

Por Rogério Santos Sensei



Wankan

O Wankan é um kata originário da região de Tomari, ilha de Okinawa. O significado do seu nome é coroa do rei ou coroa imperial. Antigamente era chamado de Matsukaze e Wankwan e também há outras fontes que informam que esse kata era denominado de Shiofu e Hito. É o kata mais curto do Karate Shotokan e somente com um kiai. No início não fazia parte do grupo de kata introduzidos por Gichin Funakoshi Sensei no Japão. Geralmente aceita-se que o seu filho Yoshitaka Funakoshi tenha sido responsável pela inclusão, que por sua vez, desenvolveu o referido kata numa nova versão trabalhada e modernizada. No entanto, devido à sua dimensão afirma-se que é um kata inacabado, cujo desenvolvimento foi interrompido pelo falecimento de Yoshitaka Funakoshi. Essa tese tem sido aceita e ganha importância e significado. Porque as versões atualmente em outros estilos das escolas de Okinawa são mais longas. Um kata sem dúvida singular, contendo técnicas básicas e avançadas, e de muita simplicidade, pois é o menor kata na escola Shotokan.

video


Jiin

O Jiin é um kata originário da região de Tomari, ilha de Okinawa. Esse kata é praticado por várias escolas, como: Sanku Kai, Wado Ryu, Shotokan Ryu, etc. O significado do seu nome quer dizer amor e proteção. Um verdadeiro karateka deve ter amor pela vida, protegendo todos os seus semelhantes que assim precisarem. Um verdadeiro campeão da justiça e da verdade, pois essa é a maior glória que você pode ter. Defender o fraco e oprimido quando necessitar de ajuda, servindo a sociedade com o seu melhor como ser humano. Nisto está o espírito do Karate-Do. Esse kata, segundo a minha experiência, nos revela exatamente a essência do Karate-Do; o Karate começa e termina com a cortesia. Somente quando compreendermos isso é que podemos amar e proteger o próximo, pois isso é divino e vem do Criador de todas as coisas. Este kata segue o mesmo príncipio de Jion, sendo um kata de bases pesadas e sempre visando uma melhor postura do praticante.

video


quinta-feira, 26 de fevereiro de 2009

Meikyo

O meikyo é originário da região de Shuri, ilha de Okinawa. Esse kata é uma variante do Rohai Kata e é praticado por várias escolas, como: Shito Ryu, Shotokan Ryu, Wado Ryu e etc. O significado do seu nome quer dizer: espelho claro ou alma limpa. As técnicas básicas aprendidas na série de kata Heian voltam a ser aplicadas aqui para compor a maior parte deste kata suave e sereno. A característica predominante do Meikyo é o sankaku tobi no final do kata. Corretamente executada, essa difícil técnica capacita o karateka a transformar uma desvantagem em vantagem num único movimento rápido. Desnecessário dizer, ela exige o mais elevado nível de habilidade, e dominá-la pode ser um desafio mesmo para o praticante mais experiente e graduado.



video


Gojushiho Sho

O Gojushiho Sho é uma transformação de Gojushiho Dai e, como o Dai, o Sho é um kata também longo. A arma do Gojushiho Sho é a mão em espada, utilizada em bloqueios e estocadas para repelir ataques. Só é possível captar a essência característica desse kata quando ele é executado por um karateka experiente cuja técnica tenha alcançado maturidade.


video


Gojushiho Dai

O Gojushiho é um kata oriundo da região de Shuri, ilha de Okinawa. Esse kata deu origem a mais dois kata, Gojushiho Dai e Gojushiho Sho. O seu nome significa cinquenta e quatro passos e o seu antigo nome era Hotaku que significa pássaro carpinteiro. Na China esse kata era chamado de Hakutsuru (54 passos da pantera negra). Com secenta e dois movimentos, Gojushiho Dai é um dos kata mais longos. Um pouco mais longo do que no tempo em que era chamado apenas de Gojushiho (cinquenta e quatro passos). Entre as suas características distintivas estão várias técnicas suaves e fluentes, posturas como a do gato (neko ashi dachi) e de uma só perna, que exigem excelente equilíbrio, e seus movimentos giratórios. Há diversos bloqueios com o punho "cabeça de galo"e ataques com soco descendente. É necessário um alto nível de habilidade técnica para executar com eficácia este avançado kata. É possível que você já tenha visto esse kata sendo executado pelo Shihan Hirokazu Kanazawa. Com a denominação de Gojushiho Sho e não como Gojushiho Dai. Embora eu tenha respeito pelo Shihan Hirokazu Kanazawa, não concordo com a troca do nome de um pelo outro. Prefiro seguir a orientação do Mestre Gichin Funakoshi e seu aluno que continuou o seu trabalho de divulgar o Karate, mestre Masatoshi Nakayama. A explicação para essa troca não está na quantidade de seus passos, em que o Dai possui secenta e dois passos e o Sho secenta e cinco passos; mas na essência de cada um desses kata. O sentido de cada um deles só pode ser entendido quando se busca estudá-lo a fundo. Porém algumas associações de Karate adotaram o que o Shihan Hirokazu Kanazawa ensinou.

video


Nijushiho

O Nijushiho é originário da região de Tomari, ilha de Okinawa. Esse kata é uma variação do Niseishi Kata. O nome que identifica este kata - "vinte e quatro passos"- derivou originariamente do número de movimentos dos pés. A execussão desse kata só é correta quando os movimentos são suaves e fluem ininterruptamente de um para outro. Se a integração total das várias forças e da velocidade não for dominada completamente, a execussão se parecerá a uma dança. O bloqueio com o dorso da mão (haishu uke) aplicado neste kata segue um curso específico e usa certas partes do corpo de um modo que o diferência nitidamente de outros bloqueios com os quais não se deve confundí-lo, ou seja, o bloqueio em gancho com a mão em espada (kake shuto uke), bloqueio vertical com a mão em espada ( tate shuto uke), bloqueio com a mão em espada (shuto uke) e o bloqueio agarrando (tsukami uke) e assim por diante.

video




Sochin

Sochin é originário da região de Naha, ilha de Okinawa, o qual é praticado por várias escolas. No Sochin encontramos a grandeza, a força e o poder estável. A postura imóvel, de grande estabilidade (fudo dachi), é tão usada, que é geralmente conhecida como a postura do Sochin. No que se refere à defesa, a postura imóvel oferece uma base sólida para resistir a ataques desferidos pela frente, por trás ou pelos lados. As características do kata despontam melhor quando ele é executado lentamente, revelando assim uma certa reverência e poder. O ritmo relativamente lento significa que os músculos com frequência passam muito gradativamente de um estado de relaxamento total à tensão total. Alguns movimentos, porém, exigem produção instantânea de força múscular. Um dos benefícios do kata é que ele desenvolve um senso aguçado do momento oportuno, o que possibilita ataques repetidos sem dar tempo ao oponente para um contra-ataque. Essas extraordinárias técnicas podem favorecer muito as habilidades de Karate, ajudando a desenvolver a tranquilidade mental necessária para as artes marciais e para a própria vida.

video


quarta-feira, 25 de fevereiro de 2009

Unsu

Unsu é um kata similar ao Unshu, o qual é originário da região de Tomari, ilha de Okinawa. Esse kata é também chamado de Unte por algumas escolas tradicionais de Okinawa. O mesmo também é executado pela escola Wado-ryu, estilo representado por José Grácio sensei em três corações-MG. Embora nem sempre se consiga ver, as nuvens passam por transformações incessantes. O mesmo ocorre com este kata que toma o seu nome -"Mãos de Nuvens" - desse fenômeno. Em reação aos movimentos do adversário, este kata contém saltos altos e baixos, deslizamentos, esquivas e provocações; ele também requer o uso de todas as partes do corpo como armas e, de modo especial, desenvolve leveza e rapidez, sentido do momento apropriado, ritmo e habilidades estratégicas. Uma das características singulares desse kata é a combinação que vai do bloqueio com o punho"cabeça de galo"(keito uke) ao contra-ataque com a mão em lança de um só dedo (ippon nukite). Outra é o uso hábil de chutes desferidos em várias direções. Mas para não parecer um espantalho tentando dançar, o karateka precisa primeiro dominar os kata básicos, especialmente a série Heian e os kata Kanku, Enpi e Jion.



video


domingo, 22 de fevereiro de 2009

Chinte

Acredita-se que o nome Chinte, escrito com caracteres chineses que significam "extraordinário" e " mãos", deriva das técnicas singulares do kata. O kata como um todo tem uma sequência de movimentos que começa com tranquilidade, torna-se vigorosa e termina na calma. Há muito a aprender com esse kata. Um ponto é o domínio da técnica de socar usando a força gerada pela pressão do pé de trás contra o chão. Depois de bloquear na postura imóvel, o joelho do pé de trás é levado à frente para assumir a postura avançada ( zenkutsu dachi ). Outro ponto é o tate ken, raramente visto nas técnicas básicas do Karate, embora seja comum nas artes marciais chinesas. Há também técnicas para atacar os olhos com a mão em ponta de lança de dois dedos (nihon nukite zuki). Essa é uma técnica de autodefesa eficaz para as mulheres que tem pouca força muscular. O último movimento exige a sensação de força na calma, de ondas se afastando calmamente depois de se arremessarem contra a praia.

video





sábado, 21 de fevereiro de 2009

Kanku Sho

O kanku Sho é originário da região de shuri, ilha de Okinawa, tal como o Kanku Dai. Antes de praticar o Kanku Sho, você deve dominar totalmente os fundamentos de Heian Yondan e ter assimilado perfeitamente todas as técnicas do Kanku Dai. A configuração das técnicas ofensivas e defensivas nos dois kata é praticamente a mesma, como também o são a velocidade e o vigor da rotação e as várias técnicas. A diferença está nos contra-ataques que usam o golpe com a mão em espada ou o chute para a frente depois de um bloqueio. No Kanku Dai, esses movimentos são desferidos principalmente no nível superior; no kanku Sho, principalmente no nível médio. Ao executar este kata, lembre-se de expressar três fatores: uso correto da força, velocidade das técnicas e a distensão e contração dos músculos. O karateka só dominará o Kanku Sho se compreender perfeitamente que o pulo e o giro baixo não são uma ação única.

video


Bassai Sho


O Bassai Sho tal como o Bassai Dai são oriundos da região de Shuri, ilha de Okinawa. O Bassai Sho deve ser praticado depois que você adquiriu domínio pleno do Bassai Dai. Os dois kata formam uma série; a diferença está em que o Bassai Dai mostra força e solenidade externas, ao passo que o Bassai Sho, na calma de suas técnicas, contém força interior. As características básicas do Bassai Sho são os movimentos em arco das mãos e dos pés e o uso da mão em espada, do dorso da mão e da boca de tigre. As técnicas aprendidas neste kata são defesas contra ataques com bastões. Com frequência, usa-se a palma com esse objetivo e a força é importante para cada bloqueio, especialmente contra bastões pesados. Os pulsos, os cotovelos e os joelhos devem ser flexíveis, mas as posições devem ser firmes. De importância especial são a correta aplicação da força e a velocidade apropriada ao executar as técnicas. Este kata é um bom meio para aprender a bloquear com força e contra-atacar com vigor depois de tensionar os músculos lentamente, de acordo com a respiração.

video

video


quinta-feira, 12 de fevereiro de 2009

Equilíbrio emocional



Sabe-se que em Karate-Do, o equilíbrio do corpo é fundamental para manter a estabilidade dos movimentos em cada postura. No entanto, não devemos deixar de lado um outro equilíbrio , as nossas emoções. Compreenda que o equilíbrio do corpo e das emoções são uma só unidade. Porque o estado emocional em que você se encontra reflete exatamente em sua atitude. Outrora se dizia que a espada do samurai era a sua alma. Porque o manejo da mesma, expresso por movimentos precisos de destreza e habilidade técnicas, refletia a força e a serenidade de seu equilíbrio emocional. Afirmava-se que a sua espada personificava o seu espírito. Porque tanto o seu emocional quanto a lâmina de sua espada possuíam a mesma têmpera do aço - processo pelo qual a espada é forjada - para construir em sua auto-estima ânimo inabalável. Tal atitude dava ao samurai domínio próprio, qualidade indispensável também ao karateka. Como diz um provérbio chinês, " aquele que sobrepuja os outros é forte, porém, quem sobrepuja a si mesmo é poderoso". Segundo mestre Reishin Kawai, pessoas que facilmente se insurgem contra ofensivas são aquelas que ainda não conseguiram atingir o equilíbrio emocional e espiritual. Este equilíbrio é observável entre os praticantes de arte marcial ao manejarem uma espada. O manejo sereno e confiante é conseguido por aqueles que também são serenos e equilibrados internamente. Ao passo que o empunhar nervoso e incostante denota as pessoas desprovidas exatamente daquele equilíbrio. O estudo de nossas emoções aqui se faz necessário em dois aspéctos: no combate e no cotidiano. Explico-me: quando em combate, o praticante precisa manter a mente serena, nada esperando e a tudo reagindo. E isso se adquiri através de um estado de alerta constante (zanshin). E no cotidiano sabe-se que paus e pedras podem nos machucar, porém, as palavras ainda que ásperas não podem nos ferir. Como regra geral, sabe-se que pessoas quando ofendidas por insultos, sempre tendem a responder as ofensas que lhe são atribuídas. O segredo para desfazer o conflito está em não dar ouvidos àquilo que nos dizem , ainda que seja humilhante. A menos que haja um fundo de verdade quando violamos a ética em relação ao próximo. Como Oswaldo Duncan sensei ensinava," em karate não venha culpar os outros ou odiá-los, tenha somente medo de sua falta de sinceridade". Porque fora isso não devemos acreditar no que disserem a nosso respeito. Assim dizia o professor Júlio Schuwantes, em seu livro colunas do caráter, que a característica de um grande coração é a capacidade de aceitar críticas adversas sem exasperar-se. É bem mais fácil melindrar-se com supostas ofensas do que reconhecer razão num adversário. Um orgulho sutil costuma cegar-nos quanto aos próprios erros e exagerá-los nos outros. Como karateka é necessário ter sempre em mente que tais pessoas realmente são medíocres, porém não precisamos dizer isto a elas. Porque o espremer do leite produz manteiga, e o espremer do nariz produz sangue, assim o espremer da ira produz contendas. Para o karateka é imprescindível manter a calma diante da tempestade, porque o domínio sobre si mesmo, em forma física e psicológica o ajudará a tomar a decisão certa. Assim evitaremos a coragem impetuosa, a qual deve ser evitada para não cometermos o erro de sempre lutar quando somos apenas ameaçados. A coragem impetuosa também deve ser assimilada principalmente quando queremos expor uma filosofia aos que não a conhecem ou não querem compreendê-la. Porque àqueles que sabem nada precisa ser dito e àqueles que não sabem raramente estão dispostos a ouvir. Portanto, o equilíbrio emocional do estudante de Karate - quando amadurecido - deve ser consistente como o aço da espada. E segundo o shihan Mitsugi Saotome, a espada, um dos três símbolos espirituais da nação japonesa, espelha em seu metal a sabedoria e a honestidade. Nobre, aguçada e resistente, embora flexível e pura: tais as qualidades a que o guerreiro aspirava.

Por Rogério Santos Sensei



terça-feira, 3 de fevereiro de 2009

Kata a essência do Karate

Os kata são combinações lógicas de técnicas de bloqueio, soco, golpe e chute em certas combinações determinadas. Cerca de cinquenta kata são praticados atualmente, alguns dos quais foram passados de geração em geração, enquanto outros foram desenvolvidos recentemente. Os kata geralmente são divididos em duas amplas categorias. Uns são apropriados ao desenvolvimento físico, ao fortalecimento dos ossos e músculos. Apesar de serem aparentemente simples, eles requerem tranquilidade para serem executados e exibem força e dignidade quando executados corretamente. Enquanto outros kata são específicos para o desenvolvimento de reflexos rápidos e da capacidade para mover-se rapidamente. Todos os kata requerem e cultivam o ritmo e a coordenação. O treinamento em kata é tanto espiritual quanto físico. No que se refere ao espiritual, nos conduz ao aperfeiçoamento do caráter, trabalha o temperamento e nos dá auto-estima. Como também a cortesia, pois sem cortesia não há respeito mútuo entre os seres humanos. O Mestre Gichin Funakoshi , sempre lembrava frequentemente que sem cortesia o Karate perde o seu espírito. Se entre pessoas não se pratica a gentileza se perde o amor ao próximo. Isto é rei, o qual costuma significar respeito mútuo. No entanto, vai muito além de simplesmente ter respeito e bom comportamento. É necessário ter sinceridade em seu coração para que o verdadeiro respeito mútuo seja real. Porque sem rei, segundo Mestre Funakoshi, nos igualamos aos animais. E também sem rei o caos e a desordem se manifestam. Enquanto ao kata no seu valor físico somente o treino contínuo e regular mostrará os efeitos cumulativos com a prática. Na execução do kata, o karateka deve exibir coragem e confiança, mas também humildade, gentileza e um senso de decoro, integrando assim o corpo e a mente numa disciplina singular. Quando você praticar kata toda vez que fizer uma inclinação tenha em mente que o Karate começa e termina com a cortesia. Sem a cortesia não há como ter o verdadeiro rei, pois o mesmo está relacionado com sua auto-estima. Quando você tem auto-estima você transfere esse sentimento para todos que estão à sua volta, isso é rei. O primeiro princípio do Karate ensinado por Mestre Funakoshi é que o Karate começa e termina com rei. Podemos conhecer um praticante de Karate quando executa um kata. Se ele faz com tenacidade e força como o tigre ou se faz sem expressão alguma, sem força. É através do kata que você pode conhecer a sí mesmo, porque se você o faz sem atenção, desatento ou sem conteúdo emocional. Isso revela o quanto você tem uma personalidade fraca. Mas se você o faz como se a sua vida dependesse dele, a execução do seu kata será como uma luta real. Infelizmente alguns pensam que kata é uma mera coreografia e que serve apenas para suar o corpo. O kata é mais que isso é como ler um texto em algum livro. À primeira vez você lê o texto, ainda não está claro , à segunda vez que você o lê estará adquirindo mais entendimento e interpretação. E a cada vez que ler e meditar a respeito desse texto você estará ultrapassando a superfície das entrelinhas, e absorvendo o desconhecido. Assim é também em kata, se você o praticar com dedicação e na prática buscar qualidade no que faz, aprenderá muito com o kata, pois você o fará cada vez mais com perícia técnica. Por essa razão o kata é a essência do Karate. E quando você entender plenamente o kata que estuda e pratica você estará dando forma ao seu Karate. Porque o seu Karate vem do coração, pois em seu coração você encontrará a forma certa. É como podar uma árvore bonsai, a qual você dará forma com bom gosto da sua inspiração.

Fonte: o melhor do Karate do Mestre Masatoshi Nakayama, vol. 5
Aqui também incluo a minha experiência e compreensão adquirida com o treinamento , estudo e aprendizagem.



segunda-feira, 2 de fevereiro de 2009

O Karate como arte marcial

Em Karate você não decide quem será o vencedor ou quem será o vencido, porque essa não é a finalidade principal. O Karate tem por objetivo conduzí-lo ao aperfeiçoamento do caráter através de sua prática, por conseguinte prepará-lo para quaisquer obstáculos palpáveis ou não palpáveis. Tornando você um ser humano gentil, dócil e ao mesmo tempo um artista marcial com alta capacidade de defesa pessoal. Tenha como princípio, regra número um, Karate somente para defesa pessoal. Regra número dois, aprender primeiro regra número um. O Karate é uma arte de defesa pessoal de mãos vazias, cujos braços e pernas são adestrados no treinamento sistemático. Caso haja um oponente, que por acaso o ataque de surpresa, o mesmo poderá ser controlado através de sua capacidade combativa. No Karate você domina todos os movimentos do corpo por meio de técnicas bem controladas de acordo com sua força de vontade, cujas técnicas são dirigidas para o alvo de maneira precisa e espontânea. O poder do Karate está no kime, o qual é a força útil do Karate. O objetivo do kime é um ataque explosivo ao alvo usando a técnica apropriada com o máximo de força no menor tempo possível. O kime não está somente no soco, chute ou golpe, mas também no bloqueio. Uma técnica sem kime jamais poderá ser considerada o verdadeiro e real Karate, ainda que seja semelhante. Em Karate o treino transformará as várias partes do seu corpo em armas para serem usadas com eficácia e perícia técnica.
Fonte:
O melhor do Karate do mestre Masatoshi Nakayama, vol. 1.